sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Batman - O Cavaleiro das Trevas




Batman - O Cavaleiro das Trevas

The Dark Knight
EUA, 2008 - 152 min
Aventura / Ação / Drama

Direção:
Christopher Nolan

Roteiro: Christopher Nolan e Jonathan Nolan
Elenco: Christian Bale, Heath Ledger, Aaron Eckhart, Gary Oldman, Maggie Gyllenhaal, Michael Caine
Eu sei que já faz um bom tempo que o filme estreou e que já é meio tarde para fazer uma resenha sobre ele, já que quase todo mundo já deve ter ido assistir. Mas eu não podia deixar de falar sobre esse filme nessa primeira resenha do blog, já que eu sou um fã do Batman desde pequeno e aguardei esse filme ansiosamente. E, principalmente, porque ele correspondeu a toda essa espera que gerou no mundo todo, como ficará claro na seqüência deste artigo.
O filme, como todos sabem, é a seqüência de
Batman - Begins, o primeiro dessa mais nova série cinematográfica do homem-morcego. Série essa que, antes do lançamento, gerou muita desconfiança por parte de fãs e críticos. Isso se deve, em grande parte, à imagem que ficou da série anterior (especialmente dos dois últimos filmes, Batman Eternamente e Batman e Robin, sob a direção de Joel Schumacher), considerada por muitos um pouco exagerada e distante, em alguns momentos, dos quadrinhos. Mas fã que é fã deixa a desconfiança de lado e vai conferir, e foi o que aconteceu: o filme arrecadou mais de 200 milhões de dólares só nos EUA. E os fãs não saíram decepcionados do cinema. O que eles viram foi uma nova idéia, um novo modo de mostrar o Batman. Sob a direção de Chistopher Nolan, a nova série busca explicar a origem do Batman, suas motivações, e acaba trazendo à tona um Batman mais humano, cheio de conflitos internos e que refuta a alcunha de herói. E para você que, como eu, vivia se perguntando onde diabos ele arranja essa roupa, esse carro e todos esses utilitários, esse filme é um alento, pois explica tudo isso.
De desacreditada, a nova série passa a ser aquela da qual se espera muito. E, graças a essa volta por cima com
Batman Begins, a seqüência passa a ser alvo de grande ansiedade e especulações. Isso já começa quando o primeiro filme dá a deixa de que veríamos o Coringa no seguinte (uma bela "cartada", por sinal). Depois, anunciaram que Heath Ledger faria o papel do Coringa. O ator foi logo alvo de suspeitas e muitos críticos mostraram-se contra a escolha. E nos três anos de intervalo entre os filmes, uma grandiosa campanha de marketing foi sendo feita e aumentando a expectativa em torno do novo filme. Havia também o mistério acerca da aparição do promotor Harvey Dent como o vilão Duas-Caras, o que confirmou-se antes do lançamento do filme. Além disso, a inesperada morte de Heath Ledger e o "Eu o avisei" de Jack Nicholson contribuíram para aumentar a expectativa sobre o filme.
Foi nesse contexto que
Batman - O Cavaleiro das Trevas fez sua estréia nos EUA no dia 18 de julho de 2008. Falemos agora do filme. Gothan City continua inundada de criminosos, apesar da ação do Batman (Christian Bale). Agora ele se vê diante de um inimigo ainda mais difícil do que os mafiosos de sempre: o Coringa (Heath Ledger). Mas ele também vê que conseguiu inspirar alguém para a luta contra o crime. Prova disso é o promotor Harvey Dent (Aaron Eckhart), que encara de frente o crime em Gothan, ao lado de Rachel Dawes (Maggie Gyllenhaal). Ele também tem a ajuda de seu mordomo Alfred (Michael Caine), do Tenete Gordon (Gary Oldman) e de Lucius Fox (Morgan Freeman).
O que vemos no cinema são mais de duas horas e meia de drama, ação, aventura e até um pouco de comédia, em doses perfeitas, não deixando ninguém cansar do filme. É um filme muito democrático, já que o Batman não domina tanto o filme quanto se esperava. Personagens como o Coringa e Harvey Dent (para minha surpresa) ganham muito espaço na telona. Me arriscaria até a dizer que Batman/Coringa/Harvey Dent seria o tripé de sustentação desse filme. Uma boa escolha, já que o filme conta com atores do mais alto porte, que merecem esse espaço e que deram conta do recado. O perfil de Bruce Wayne/Batman não foge ao do primeiro filme. Ele é o mauricinho que não liga para nada de manhã e o combatente do crime à noite. Mostra, no entanto, como o Batman não é unanimidade em Gothan. Ele não o herói da cidade, aliás, muitos pensam o contrário dele. O herói da cidade, segundo ele próprio, é o promotor Harvey Dent, o "cavaleiro branco" de Gothan, que acusa sem medo grandes chefões do crime e chega até a dizer ser o Batman para protegê-lo. No meio disso, o grande causador do caos, da discórdia e, conseqüentemente, responsável por grande parte do enredo do filme: o Coringa. O maior vilão do Batman, um dos maiores da história dos quadrinhos. Uma baita responsabilidade para um ator novo como
Heath Ledger, não? Mas quer saber? Ele arrasou! Eu, um grande fã do Coringa de Jack Nicholson, tenho de reconhecer. Heath Ledger deu ao Coringa uma faceta jamais explorada. Eu prefiro não me envolver nessas comparações sem sentido entre os dois. Para mim o Coringa de Heath Ledger não é melhor nem pior do que o de Jack Nicholson, apenas diferente. Cada um deu sua contribuição para o personagem e para mim eles acabam se completando. O Coringa de Heath Ledger é sádico como nunca e mostra não ser motivado por dinheiro como os outros. É criminoso por ser criminoso. O que o move é ver o sofrimento alheio, ver as pessoas postas em situações extremas, tendo de decidir entre o menor mal. Nesse sentido, ele lembra outro criminoso famoso do cinema: Jigsaw. Ambos gostam de testar as pessoas, fazer armadilhas cruéis e mostram inteligência fantástica para isso. A seqüência de planos postos em prática pelo Coringa durante o filme é extraordinária. Ele não erra, sempre prevê o imprevisível. Um verdadeiro gênio do crime, que toma conta de Gothan e a transfoma em um verdadeiro caos.
O filme dá um show de efeitos especiais (grande maioria deles sem uso de computador) e sonoros. O clima sombrio de Gothan é também ponto alto do filme. Além disso, vale destacar a maquiagem (ou desmaquiagem?) do Coringa e a roupa do Batman, mostrando algo mais clássico e deixando (ufa!) aqueles velhos protótipos para o passado. O Tumbler (ou Batmóvel, se desejar) está de volta e a novidade é o Batpod, uma espécie de moto usada pelo Batman.
Batman - O Cavaleiro das Trevas vai batendo recordes desde a estréia já ficou para a história do cinema norte-americano. E ainda pode fazer mais, se for confirmada a tão especulada indicação póstuma de Heath Ledger ao Oscar. Seria algo realmente incrível, já que é difícil um ator receber indicação por um papel em um filme de super-herói. Mas o fato é que ele merece e eu torço para que se confirme. Além disso, o filme pode concorrer a prêmios em categorias técnicas como as de som, direção de arte, maquiagem, efeitos visuais, quem sabe...
Quanto ao futuro da série, pouco se sabe. Com a morte de
Heath Ledger, dificilmente o Coringa volta no próximo filme, já que depois de uma atuação como essa, seria difícil achar alguém para substituir. Quanto a Harvey Dent e as polêmicas acerca da sua morte, Christopher Nolan confirmou recentemente: ele morreu e não volta no próximo filme. Fica a pergunta: qual(is) será(ão) o(s) próximo(s) vilão(ões)? Por enquanto, só especulação. Charada? Pingüim? Mulher-Gato? Arlequina? Ninguém sabe. Eu só sei que essa série está entregue nas mãos certas. Mãos estas que conseguiram trazer de volta o Batman e remoldá-lo para o cinema. Daqui para frente, podemos esperar muita coisa boa. 'I believe in Christopher Nolan'.

3 comentários:

Júlio Cézar disse...

Magnífico ! Queria ter um filho assim ...

Contra a Maré disse...

Só para constar; eu acho que a grande estrela do filme é o coringa... não deviam ter desmerecido o batmóvel... o coringa do Jack comparado ao do Ledger é patético... tô querendo o próximo!

Beatriz disse...

Ameeeiii a crítica! Principalmente o finaal ;) A parte da "comparação" entre os coringas é extamente o que eu estava pensando.

 
© 2007 Template feito por Templates para Você