segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Avatar


Avatar
Avatar
EUA, 2009 - 162 min
Ação / Ficção científica

Direção: James Cameron
Roteiro: James Cameron
Elenco: Sam Worthington, Zoe Saldana, Stephen Lang, Sigourney Weaver, Michelle Rodriguez, Giovanni Ribisi

Gigantesco e maravilhoso. Esses foram os adjetivos mais adequados que encontrei para descrever Avatar. A mais nova realização do premiadíssimo diretor James Cameron foi, sem dúvida, o filme mais aguardado de 2009. Desde o primeiro semestre do ano, criou-se uma aura de mistério e expectativa em torno do filme. Isso se deve em grande parte à volta de Cameron depois de 12 anos e à audaciosa promessa de um novo Titanic. Não creio que essa promessa foi literalmente cumprida, mas, sem dúvida, Cameron trouxe mais uma vez algo único e inovador ao cinema. Ele tem se especializado nisso em suas produções.
Avatar se passa no futuro, em 2154. Uma empresa explora valiosos minérios em um planeta chamado Pandora, utilizando-se para isso de ex-militares como mercenários. A grande dificuldade encontram é lidar com os nativos do planeta, uma espécie de humanóides chamada Na'Vi. Eles têm quase três metros de altura e vivem em harmonia com a natureza, venerando sua deusa Eywa. Paralelo a isso, um grupo de cientistas, liderados pela Dra. Grace Augustine (Sigourney Weaver), pesquisava sobre a fauna, flora e os habitantes de Pandora, e desenvolveu o Programa Avatar, criando híbridos humano-Na'Vi geneticamente alterados, permitindo que um humano se conecte ao corpo de seu Avatar e o controle mentalmente. Jake Sully (Sam Worthington), um ex-fuzileiro paraplégico, é chamado para substituir seu irmão gêmeo no programa, após a morte deste. Ele aceita, visando ter o dinheiro necessário para fazer uma operação que o curaria da paralisia. Inicialmente utilizado mais para a segurança do grupo, Sully acaba se envolvendo com a Na'vi Neytiri (Zoë Saldaña) e com o seu clã, os Omaticaya. Essa aproximação despertará interesses e colocará Sully no limiar do conflito entre sua raça e os nativos.
Cameron começou a escrever o roteiro em 1995, mas o texto final só foi feito em 2006, com a ajuda de uma linguista da University of Southern California para criar o idioma dos extraterrestres. O enredo, visto friamente, parece não ter nada demais. Parece ser uma velha e conhecida história: os exploradores maus invadem e exploram os pobres nativos e suas riquezas. É, nada de novidade. Mas o que faz do filme especial é a maneira como a história nos é mostrada. Os cenários deslumbrantes, as criaturas espetaculares, um verdadeiro show de cores passando na tela. A qualidade técnica é sem precedentes. Fotografia, edição de aúdio, direção de arte, efeitos visuais, tudo em altíssimo nível, fazendo os espectadores acreditarem que poderiam até mesmo tocar os Na'vi se quisessem, ainda mais nas salas com tecnologia 3D. Para obter tal resultado, Cameron contou com os melhores: tudo foi computadorizado pela WETA Digital, empresa de Peter Jackson. Ele optou pela empresa neozelandesa após testemunhar o espetacular resultado obtido em O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei.
No elenco, destaque para a retomada da parceria entre a excelente Sigorney Weaver e James Cameron, que já tinham estado juntos em Aliens. Mas é Sam Worthington quem rouba a cena, não deixando o deslumbramento com Pandora e dos Na'Vi esconderem sua atuação. Afinal, o espectador acompanha a maior parte da história junto com Sully, humano ou alienígena. Worthington convence ainda mais como paraplégico, nas diversas cenas em que tem de enfrentar sua deficiência para se locomover, sendo uma delas um clímax do filme. O que mais impressiona é como as pernas do ator realmente pareciam as de um deficiente. Fazendo um adendo à parte da atuação no filme, deve-se elogiar bastante a dublagem brasileira. Dificilmente reconhecida, mesmo que muitas vezes seja digna disso, em Avatar é da melhor qualidade. Os dubladores fizeram com excelência as vozes até mesmo na língua dos Na'Vi, caprichando no sotaque, o que contribuiu imensamente, já que há cenas em que os personagens usam ambos os idiomas.
Assim como Titanic, Avatar também foi alvo de suspeitas de fracasso, e na verdade foi um estrondoso sucesso. Filme mais caro da história do cinema, tendo custado US$ 500 milhões (somando execução, marketing, distribuição, etc.), Avatar está a um passo de alcançar Titanic como a maior bilheteria da história, tendo arrecadado até o momento cerca de US$ 1,78 bilhão, contra US$ 1,84 de Titanic. Os Na'Vi devem ultrpassar Kate e Rose ainda hoje.
O filme já é premiadíssimo e é grande favorito ao Oscar desse ano. No Globo de Ouro, venceu duas das quatro categorias às quais foi indicado: Melhor Filme (Drama) e Melhor Realizador (James Cameron).
De tudo que há para ser dito sobre Avatar, algo é definitivo: é um divisor de águas na história do cinema. É uma demonstração de que o 3D veio para ficar. A aposta de Cameron deve gerar muitos frutos. Um deles gerado pelo próprio Cameron, Battle Angel, filme em 3D atualmente em pré-produção e previsto para ser lançado em 2011, adaptação do mangá Gunnm. Então, aos aversos ao cinema hi-tech, ao 3D e à computação gráfica, sugiro que revejam sua posição tomando como exemplo filmes como Avatar, que se apóia nessas tecnologias sem deixar de ser bonito, sem deixar de trazer consigo a essência dos bons filmes, o apuro nos detalhes. Gigantesco e maravilhoso.

4 comentários:

Contra a Maré disse...

É divertido!
Eu adorei. Como todos os filmes do gênero “block-buster”, não devem tem pretensões rebuscadas. A mensagem é obvia e ousada para o padrão nacionalista “maluco” dos EUA.
A quem procura Filosofia... favor manter distância! E perder duas horas de diversão relativamente descompromissada.

Anderson Siqueira disse...

Cameron fez um ótimo investimento em Avatar e consegue, mais uma vez, conquistar o público com um filme mágico, marcante e imperdível. Fica uma ótima sensação de "quero mais".

NOTA (0 a 5): 4,5
****

Cristiano Contreiras disse...

Sinceramente?

O melhor filme do ano, um espetáculo grandioso!

Discordem ou não: considero um filme definitivo pro cinema!

Abraço

Maria Clara disse...

Não sei se sou do contra mas... realmente o filme não tem uma história.. como podemos dizer, emocionante. Tudo bem que Avatar é tudo de novo, os efeitos visuais realmente são um espetáculo... a história que não me agrada. eu sei que tem toda aquela coisa de "salve a natureza" e os "bixos" vivendo em harmonia com ela.. mas.. realmente a história não me impressionou.

 
© 2007 Template feito por Templates para Você